Especialidades

 

Trabalhamos para que nossos clientes tenham uma boa saúde bucal aliada a estética facial.



CIRURGIA BUCOMAXILOFACIAL

ou mais corretamente, cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial é uma especialidade odontológica que trata cirurgicamente as doenças da cavidade bucal, face e pescoço, tais como: traumatismos e deformidades faciais (congênitos ou adquiridos), traumas e deformidades dos maxilares e da mandíbula, envolvendo a região compreendida entre o osso hioide e o supercílio de baixo para cima, e do tragus a pirâmide nasal, de trás para diante.
Dentre as doenças existem os tumores benignos e malignos, os cistos dos maxilares, as provocadas por fungos, vírus, e manifestações associadas a doenças sistêmicas como AIDS, tuberculose, sífilis entre outras. As deformidades faciais são compreendidas desde as sequelas de doenças como o câncer, os traumas severos, ou distúrbios do desenvolvimento, como as síndromes ou alterações do desenvolvimento como o prognatismo (aumento dos maxilares), micrognatismo (diminuição dos maxilares) ou a combinação delas.

Cirurgia Ortognática

Área da cirurgia bucomaxilofacial que corrige os defeitos de formação do esqueleto da face, incluindo problemas das arcadas dentárias, respiratórios e, inclusive, problemas relacionados ao ronco e apnéia do sono.
A cirurgia ortognática é indicada quando há um crescimento desigual entre a arcada superior e inferior que não possa ser corrigido com aparelhos ortodônticos.
O procedimento consiste em fazer o avanço da maxila e/ou recuo da mandíbula. Com a maxila e a mandíbula reposicionadas, é restabelecido um novo perfil ao paciente, promovendo a qualidade mastigatória e a estética facial.
O paciente que realiza a cirurgia ortognática passa por uma transformação física e psicológica, melhorando sua qualidade de vida, sua autoestima e o seu jeito de se relacionar consigo e com os grupos do seu meio social.

ATM (Articulação Temporo Mandibular)

A ATM é a articulação do queixo com o crânio que se encontra localizada a frente do ouvido, de ambos os lados, e permite que a mandíbula se movimente para qualquer lado desejado e efetue a mastigação, triturando os alimentos e tornando-os menores para que a digestão seja feita. Quando isso não acontece de forma harmônica, podem ocorrer estalos ao se abrir e fechar a boca, dores de cabeça, zumbidos no ouvido e até problemas gastrointestinais. O tratamento mais adequado depende da gravidade do problema. Em determinados casos o tratamento cirúrgico é o mais indicado e pode ser realizado quando houver alteração anatômica irreversível ou a impossibilidade de se obter resultados satisfatórios com medidas menos invasivas.


HARMONIZAÇÃO FACIAL

Harmonização Facial é um conjunto de procedimentos estéticos que buscam trazer, como diz o nome, harmonia para a fisionomia do paciente. Entre os procedimentos dessa modalidade estão a aplicação de botox. preenchimento labial, correção do bigode chines, redução de papada e rinomodelação com ácido hialurônico.

REABILITAÇÃO ORAL

Dentística Restauradora, Odontologia Estética, Clareamento, Placas de Bruxismo, Placas de Apnéia, Placa de Proteção a Impacto, englobando ainda Implantodontia e Prótese Dentária.

PRÓTESE DENTÁRIA

Parte da Reabilitação Oral que visa a recomposição de dentes perdidos total ou parcial com a colocação de peças protéticas. São aparelhos protéticos que substituem os dentes naturais perdidos. Para que o sistema mastigatório funcione adequadamente, os dentes precisam estar em equilíbrio nos arcos dentários superiores e inferiores. A perda de um só dente desequilibra esse sistema e os dentes movimentam-se migrando para compensar a perda. Espaços são criados, desníveis acontecem e a mastigação e a estética sofrem. Dessa forma os dentes precisam ser recolocados por meio das próteses dentárias.


ORTODONTIA

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal. Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.
O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda.
O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.

APARELHOS ESTÉTICOS

São mais discretos que os fixos tradicionais e também podem ser utilizados com fios estéticos. Os aparelhos estéticos são construídos com diferentes materiais. Os mais simples são feitos de plástico ou fibra de vidro. Os mais sofisticados, de porcelana ou safira, além de proporcionarem uma melhor harmonização, não sofrem alteração de cor durante o tratamento.

APARELHOS FIXOS

Os aparelhos fixos são os mais eficientes, pois trabalham pernanentemente para alcançar o objetivo do tratamento e independe da intervenção do paciente. Trabalhamos com técnicas modernas e aparelhos fixos de última geração, que permitem tratamento com mais rapidez e conforto


ENDODONTIA

A Endodontia é a área da odontologia responsável pela prevenção e tratamento das doenças da polpa do dente, mais conhecidos como “tratamento de canal”. A Endodontia também atua no tratamento clínico e terapêutico dos casos de necrose pulpar e suas possíveis complicações, como abscessos, cistos de pequeno e médio porte, entre outros. O tratamento Endodôntico alcança o tecido mole que se encontra na parte mais interna do dente, chamado de polpa. Ele pode estar sadio ou comprometido. Em alguns casos, pode ser removido e substituído por material obturador.
Um dos sintomas mais característicos de problema é a dor espontânea. Isto é, o dente começa a doer sem estímulo de forma latejante. Nesse caso a polpa ainda está viva, porém inflamada e o uso de analgésico pode não resolver. Quando há morte da polpa, a dor se torna bem localizada, provocando a sensação de “dente dilatado” e dor ao mastigar. Além disso, ao abaixar a cabeça, o paciente pode ter a sensação de que o dente “pesa”.
Quando o tratamento endodôntico não é realizado, o paciente pode desenvolver uma lesão na região apical, com consequências mais sérias, como dor intensa, inchaço, febre e bacteriemia (bactérias na corrente sanguínea). A solução, nesses casos, pode chegar à extração do dente.